“Pós-verdade; a mentira da mídia”

By | 2017-04-10T17:23:07+00:00 abr 10, 2017|Mídia Social|

Por Artigo de Toninho Rosa

De fato, estou muito irritado com os ataques, oriundos da mídia tradicional e algumas associações, contra a internet e as redes sociais.

Para quem não conhece o assunto em profundidade, fica de fato parecendo que a mídia offline (jornais, revistas e TVs) é a boazinha na lisura das notícias. Já a online é colocada como a bandidinha da história, com suas notícias falsas.

Eles estão chamando isto tudo e se arvorando de “Pós-Verdade”. Então, como um dos maiores conhecedores de mídia no Brasil e fundador presidente do IAB, me vejo obrigado a argumentar:

Para estes “espertos” que querem colar esta pecha no online, onde dizem que os anúncios são publicados inclusive em notícias falsas e chamando o processo de “Pós-Verdade”, mostro a eles; isto com alguns poucos exemplos, o quanto a mídia tradicional também pode ser tão ou mais falsa.

Para isto, separei alguns exemplos.

Se quiserem mais, tenho muitos outros.

Chateaubriand acharcando anunciantes.

Capa Istoé Dinheiro sobre a cervejaria Schin e identificado pela PF como comprada.

Escola de Base.

Globo manipulando eleições no episódio Collor e Lula e confirmado pelo Boni.

Gol anunciando via Almap em sites citados como empresas ligadas ao ex-deputado Eduardo Cunha.

Dolly na RedeTV comentado que Coca Cola poderia ter folha de coca.

Gugu entrevistando o PCC.

Amaury Jr entrevistando ao falso VP da Gol.

A grávida de Taubaté, que deu entrevista para várias TVs.

Jornalista da TV Globo é detido com 240 quilos de falsa cocaína.

Como comentou meu colega Marco Marcelino, editor da revista Empresário Digital; o caráter de mentir e manipular vai continuar independente do meio. Quem nasceu para colocar gasolina em fogo ainda crê fazer o bem.

Espero que este artigo traga um pouco de luz e discernimento. É ruim jogar pedra quando se tem telhado de vidro.